Menu


#RádioSuperJF


“Nada a Perder” bate filme de Spielberg em semana de estreia!

02 ABR 2018
02 de Abril de 2018
Cinebiografia de Edir Macedo foi visto por 2,1 milhões de espectadores na primeira semana!

“Nada a perder”, a cinebiografia do bispo Edir Macedo, estreou neste fim de semana na liderança das bilheterias do Brasil. Segundo a ComScore,  que mediu a venda de ingressos, ele foi assistido por 2,1 milhões de espectadores, com arrecadação de R$ 25,8 milhões.

Para efeitos de comparação, o segundo lugar ficou com “Jogador nº1”, de Steven Spielberg, que teve 345 mil ingressos vendidos, alcançando uma renda de R$ 7,1 milhões.

A história do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus deve ser o filme brasileiro mais assistido no país este ano. O campeão em 2017 foi “Polícia Federal — A lei É para Todos”, com público de 1,36 milhão de pessoas.

São impressionantes os números de “Nada a Perder – Contra Tudo. Por Todos”, que terá uma continuação em 2020. Ele já chegou aos cinemas brasileiros batendo recordes. Nunca antes na um filme brasileiro teve tantos ingressos em pré-venda, foram mais de 4 milhões.

A tendência é que ele tenha desempenho igual ou superior a “Os Dez Mandamentos – O Filme”, que em 2016 tornou-se a maior bilheteria do cinema nacional em todos os tempos. A versão cinematográfica da novela da Rede Record, de propriedade de Edir, vendeu mais de 11,3 milhões de ingressos no Brasil.


Contudo, o número de pessoas que realmente foi aos cinemas para assistir “Os Dez Mandamentos” é questionável. Na época do seu lançamento, alguns jornais publicaram matérias mostrando que houve muitas sessões esgotadas do filme, mas com a maioria das poltronas vazias.


Fake News sobre o filme

Algo parecido já surgiu nos primeiros dias de exibição de “Nada a Perder”. Chama a atenção fato de a Igreja Universal do Reino de Deus ter se adiantado a esse tipo de notícia. Na semana passada, emitiu uma nota oficial onde alertava que mídia iria “despejar fake news (notícias falsas) para tentar diminuir a importância da espetacular bilheteria do lançamento do filme” sobre seu fundador.


“A Universal não comprou, nem comprará entradas de cinema. O que existe é a mobilização espontânea de grupos e de membros da Universal, que se organizaram para que o maior número de pessoas tenha chance de assistir ao filme”, insistia a nota.

Foram apenas 4 dias de exibição. Nas próximas semanas ficará evidenciado se o longa terá fôlego para atrair tanto público quando parece. Seja como for, serve para demonstrar que está definitivamente quebrado o monopólio do cinema nacional, que estava até recentemente nas mãos da Globo Filmes, subsidiária da maior concorrente televisiva da Record.

FONTE: Gospel Prime
Voltar